segunda-feira, 4 de julho de 2011

O nascimento de um novo tempo – A Falsa Premissa – Amor ao pecador, Ódio ao pecado


Preludio para Lucidez
A Falsa Premissa – Amor ao pecador, Ódio ao pecado

seu crime, minha senhora, não foi ter assassinado aquele homem, o seu grande crime foi não ter cegado quando todos eramos cegos
José Saramago : Ensaio sobre a lucidez

Aceitar qualquer verdade, é apenas aceitar. O fundamentalismo brota da semente do incontestável.
                   Rudson: rdmatheist@gmail.com

Parece fácil, “_Deus ama o pecador mas odeia o seu pecado”, “_Deus ama o homossexual mas odeia o seu homossexualismo”. Não somente parece difícil, é difícil, pode ser considerado como uma forma de preconceito disfarçado de amor, um amor ao inato pecador impondo ao mesmo um ideal puritanista de tamanha falta de respeito pela vida e vontade pessoal que chega a ser absurda e hipócrita em sua falsa premissa de amor incondicional, se o amor é incondicional então o pecador é inato em seu pecado, todo o amor ao qual seria empregado para todo pecador mesmo em pecado seria então incondicional independente das escolhas do mesmo. Como um ditado racista em que “_Um cão tem tanta culpa de ter nascido cão quanto um negro tem culpa de ter nascido negro”, os adeptos a moralidade divina repetem sempre a mesma falacia, “_Deus ama o pecador mas odeia o seu pecado”, está visível a aparente similaridade entre essas duas posições, o amor hipócrita de origem divina é uma proposta de separatismo étnico racista, por criar uma ideia de nação e de povo abençoado, como um alpinista estando sobre o topo do Everest, todas posições religiosas em seus preceitos moralistas, sentem-se em sua posição vivida como estando sobre o topo de toda uma moralidade absoluta, estando sobre eles o dever de propagar tal moralidade, em resumo, a soberba da absoluta moralidade é progenitor de uma proposta de moralidade racista tribal, que tem a capacidade de cegar os olhos dos adeptos em observar a diversidade universal cultural e por fim respeitar a mesma e perceber que a sua diferença em relação as outras não passa de mais uma, sendo assim qualquer verdade é uma verdade em sua própria premissa, todos os que aceitam sua verdade como verdade absoluta somente esta aceitando mais uma e negando todas as outras. Era muito fácil para a Igreja e seu clérigo aplicar tortura com frieza ao sofrimento alheio, pois para eles os mesmos se encontravam sobre o topo da absoluta moralidade, portanto os mesmos possuíam todos os direitos e deveres de aplicar e pregar a sua moral. Com suas fixações por preservar uma proposta de moralidade de origem tribal os adeptos fecham-se para um universo de possibilidades infinitas, colocando em si a ideia de estar acima de qualquer outro ser ou cultura, visto que a moralidade deles é absoluta somente a partir dos seus próprios preceitos, e simplesmente em uma verdade por verdades a deles deve prevalecer acima de todas as outras.
Não enxergo nada de verdade entre nenhum tipo de entidade deísta e não preciso me apegar ou associar-me a nenhuma delas, todas as entidades folclóricas apresentam suas provas de existência, em qualquer uma temos tanto verdade quanto qualquer verdades alheias, todas as verdades são somente verdades pois elas somente se reforçam em seus preceitos. Assim como preceito de moralidade deísta através de um relato moribundo e de interpretações literárias bíblicas, não tornam a moralidade deísta valida para podermos aplicar a nenhuma sociedade, pois seus preceitos são de dominância racista e tribal do mesmo tipo que tentamos hoje expurgar da nossa sociedade, a moralidade deísta em interpretações passadas aprovaram o assassinato de judeus favorecendo o proselitismo cristão, a mesma interpretação deísta bíblica moribunda foi desculpa para escravizar negros e índios favorecendo senhores feudais, a partir da hipócrita moralidade eclesiástica a partir de suas interpretações literárias, corrupto clérigo Católico é o responsável por tamanha chacina em nome dessa absoluta moralidade, mesmo que os mesmo estivessem fora dos próprios conceitos morais, a mente entorpecida ainda assim se submeteu e deu continuidade a essa falsa premissa.
Com uma falsa premissa de amor a todos os seres viventes e também uma falsa visão moralista, é aplicado sobre uma população de diferente ideologia, a proposta de uma nova moralidade que deve ser aceita independente do método em que se observa sua perpetuação pois a verdade é a verdade e nada mais, portanto a moralidade é aplicada por amor a uma ideologia oposta através preceitos infundamentados, se não for aceita pela ideologia oposta a tendencia é uma forte e violenta aplicação dessa moralidade,”_Você tem o direito de ser gay, mas se você for gay eu quero ter o direito não te contratar... Eu quero ter o direito de demitir meu funcionário se ele for gay.... Myrian Rios:Deputada do PDT”, posição vergonhosa de origem bíblica assumida pela deputada, que busca com sua fé(Absurdo moralista) derrubar as leis que protegem os direitos daqueles que possuem uma instrução sexual diferente, exibindo suas palavras de amor e perdão aos homossexuais mas querendo retroagir o tão suado ensanguentado e por fim conquistado Direitos Humanos, direitos quais a mesma está a usurpar, imagine se o cristianismo fosse minoria,”_Eu respeito os direitos dos cristãos, mas se você for cristão eu quero ter o direito de não contratá-lo ”,”_Eu quero o direito de demitir meu funcionário cristão”, não precisamente somente é aplicável aos como a fala descabida da deputada pode ser usada em qualquer raça etnia religião, aos negros, aos judeus, aos nordestinos, aos muçulmanos pois todos são terroristas, aos índios etc.. Essa falsa posição de reconhecimento dos direitos pode ser considerado como uma ofensa dentro de um universo com tamanhas possibilidades para diferenças ideológicas e étnicas, diferenças essas que podemos até assumir como sendo infinitas em suas possibilidades de resultados e propostas dentro de qualquer universo observável, aceitar qualquer verdade por ser ela verdade em uma proposta de verdade absoluta é assumir a própria capacidade imutável de ser intolerante com posições diferentes assumindo qualquer diferença como uma mentira.
O que identifica o homem bom senão a sua bondade? A bondade Gay exercida por Gays, a bondade Cristã exercida por cristãos, a bondade Muçulmana exercida por muçulmanos, a bondade budista, a bondade Hindu, a bondade Séptica. Bondade é apenas bondade, uma resposta altruísta de cada um ao se meio ambiente vivido, mesmo que por uma simples pessoa dentre um universo de pessoas aonde alguns tendem a fazer algo bom e outros tendem a fazer maldade. Uma bondade que pode vir de qualquer tipo de pessoa e essa por sua vez não deve ser negada mesmo que a religião ou a ideologia da mesma seja avessa a qualquer uma outra. Pessoas independentes da sua orientação filosófica(religiosa, sexual) ou etnia deve somente ser jugado pelas leis que consolidam a nação em qual as mesmas vivem, o estado por sua parte para poder preservar os direitos de todos, somente consegue faze lo estando esse livre de qualquer preceito religioso visto a grande diversidade ideológica, nenhuma dessas diversidades deve ser favorecida.
Para podermos manter uma visão livre de preconceitos não podemos atribuir conceito de moralidade social como sendo de origem de uma divindade, a partir dai seria então um ato de respeito com a capacidade que outras pessoas de religiões ideologias diversas tem de fazer o bem ou qualquer ato de bondade. Atribuir a responsabilidade de atos bondosos a entidades religiosas é apenas continuidade de um processo proselitista religioso separatista e racista, o mesmo que já se arrasta há muito tempo no meio humano e estamos tentando acabar, assim como era um ato imoral para qualquer Estado Cristão qualquer pessoa nascer em uma família de judeus na Europa do seculo passado pois a existência dos judeus eram ofensivos as praticas religiosas dominantes, preconceito pregado e mantido por entidades religiosas cristãs as mesmas que hoje tentam negar o direito dos homossexuais, pois a existência dos homossexuais é uma aversão as suas praticas religiosas. Dizer que a entidade x é a responsável pela bondade é o mesmo que dizer que a entidade y é falsa em sua premissa de amor ou até uma negação de existência de uma entidade e imposição de outra, saiba que o mesmo que é dito de X para Y, é também dito de Y para X, aceitar qualquer colocação é simplesmente aceitar e nada mais, existe logo então um empasse entre as entidades X e Y que encontra em seus adeptos os soldados perfeitos e de certa forma os terroristas perfeitos, e surpresa! Nenhuma quer perder o status de precursor da bondade. O que sobra é a capacidade de sobrevivência de cada uma delas, seus métodos de preservação de suas tradições tribais exibem com violência a necessidade de salvação dos adeptos e a conversão dos não-adeptos embasada um ideal de moralidade religiosa, a arma fundamental é o mistério de uma falsa salvação e condenação, e na proposta de moralidade para um ideal de felicidade social de idolatras desse alfabeto de entidades se encontra o preconceito com todas as formas diferentes de Pensamento,”_Deus tenha pena de você seu pecador” “_Somente através do filho se chega ao pai”.
Podemos falar em amor religioso, na história da sociedade humana temos muitos exemplos desse amor incondicional, na escola estudávamos sobre as torturas aplicadas aos hereges, a desculpa era o amor que era sentido por Deus para com os homens a tal ponto que era uma obrigação dos crentes zelar pela alma alheia, impondo punições para a purificação do herege até que esse assumisse participação com Satã e suas obras. Perante uma tortura será que a verdade arrancada do herege poderia ser valida? Eu ou você debruçado sobre uma panela com ratos vivos, uma chama logo abaixo, fazendo os ratos entrarem em panico, ao ponto de rasgar nossas entranhas, seria o sofrimento necessário para nos dar o perdão de Deus, nessa visão arcaica se passássemos por esse processo de purificação estaríamos dignos de entrar nos reinos dos céus, de certa forma forma sou grato aqueles que lutaram e os muitos que morreram para que esses atos moralmente aceitos fossem expurgados da nossa sociedade.
Não podemos negar os fatos acontecidos no passado que mantiveram esse monstro chamado Deus durar mas do que qualquer outra divindade humana, Zeus, Rá, Set, Apolo, Enk, Mitra e assim. Podemos considerar um ato imoral ser homossexual, ou ser negro, ou ser judeu, ou ser muçulmano e podemos instituir leis para reforçar a inexistência de tais atrocidades bíblicas em nosso meio, mas será que os mesmos que nos rodeiam e que tiveram as suas ideologias sufocadas a ponto de se converter ou desaparecer não estariam sendo hipócritas em seus pensamentos? Não estaria a deputada Miryan Rios dizendo que todos os gays e lésbicas devem se converter ou ser totais marginais em pais favoritista a uma ideologia bíblica, e o próximo passo? Não seria também a deputada Mariano Rios a favor de uma lei que protegesse seu direito a contratar negros em sua empresa, ou demitir qualquer funcionário de qualquer outro tipo de etnia ou ideologia avessa a sua ideologia cristã?

Nenhum comentário:

Postar um comentário