quarta-feira, 6 de julho de 2011

O nascimento de um novo tempo – Fim ao Status quo sectarista Divino - Humanidade, Levante-se que já é hora

Preludio para Lucidez
O fim do Status Quo sectarista Divino
Humanidade, Levante-se que já é hora


Porquanto todos sabemos que o que hoje denominamos braços e pernas foi um durante muito tempo pernas, até que alguém se terá lembrado de dizer aos homens levantem-se que já é hora...
A historia dos homens é a historia dos seus desentendimentos com deus....
José saramago: Caim


Quão violento deve ter sido o golpe que regrediu toda a mentalidade humana a ponto do próprio sentido de vida ter perdido seu sentido. Aceitar tal chicote de volta aos nossos lombos seria um ato de total regressão a um quadrupedalismo cego, porém como um quadrupede muitos se ainda mantem, atrelados a conceitos tribais e separatistas com orgulho alimentando-se de feno(Falacias Estupidas que Ninguém Observa), com orgulho e achando-se puxadores de uma verdade absoluta, assim como qualquer outro animal de tração não sentem o peso da carroça que puxam por estarem embriagados em suas visões e um mundo de infinita criatividade, o peso de sua carroça não pode ser observado porque os mesmo estão limitados a olhar para trás e para os lados(os caminhos do senhor são mesmo estreitos), como estando a usar uma vizeira de cavalo os denominados Homos Quadrupedes Cegus, estão sempre com fome de mais um pouco desse feno(Falacias Estupidas que Ninguém Observa).Pobres animais que tem sua visão do mundo real limitado pelas laterais das suas viseiras que são projetadas em suas verdades absolutamente inquestionáveis deleitosa em sua própria moral absoluta.
Em suas verdades inquestionavelmente absolutas puxam vagarosamente uma carroça sobre um sol intenso no meio de um deserto aonde a única água que se encontra é aquela que escorre de suas testas, pois seu senhor não possui pena de seus animais a ponto de fazer os mesmo puxarem duna após duna sua carroça pesada e cheia de uma cultura hostil. Estão eles negando a si mesmos que estão a puxar uma carroça, pois estando em suas limitações em olhar para traz e para os lados devidamente obrigados a olhar somente para dentro de si e falar aos seus próprios eus suas dores e aflições, seguidas de um contentamento que os faz suportar os cascos que já a muito se encontram sobre sangue e osso, felizes por estarem alimentando-se cada vez mais desse maravilhoso feno feito com a palha seca e espinhos de cactos que são o único verde fornecido por esse pobre deserto esquecido pelos homos erectus. A qualquer demais noção somente sobra uma pequena fresta pois o arreio é cumprido, quase míope o pobre animal somente tende a puxar sua carroça tendo suas vontades dominadas por um freio, freio este que é feito em dura mordaça denominada por sua hipócrita afetação de amor através da punição de pecados em longos banhos de sangue para a expiação dos mesmos como sendo a Palavra. Travados pela Palavra e seguidamente chicoteados por um duro coro daqueles que se atreveram em exortar o poder da Palavra por um guiador invisível, puxando eternamente um background de sádica vilanagem mascarada de amor cujo em único sentido somente é amante da discórdia e embriagues de sangue.
Pobre quadrupede com sua inquestionável obediência, arrastando a muito uma carroça montada em um chassi de uma apologia assassina e cruel, com um background cheio de corpos, ossadas, galões e galões de sangue misturado as lagrimas dos que um dia se atreveram a caminhar sobre as duas patas.
Rudson<rdmatheist@gmail.com>

Nenhum comentário:

Postar um comentário