terça-feira, 24 de abril de 2012

José Sarmago - Caim

Caim



"Quando o senhor, também conhecido como deus se apercebeu de que  a Adão e Eva,  perfeitos em tudo que  apresentavam  à vista, não lhes saía uma palavra da boca  nem emitiam ao menos um simples som primário que fosse, teve de ficar irritado consigo mesmo , uma vez que não havia mais ninguém no jardim do Éden a quem pudesse responsabilizar pela gravíssima falta, quando os outros animais, produtos, todos eles, tal como os dois humanos, do faça-se divino, uns por meio de mugidos e rugidos, outros por roncos, chilreis, assobios e cacarecos, desfrutavam já de voz própria. Num acesso de ira, surpreendente em que, tudo poderia ter solucionado com outro rápido fiat, correu para o casal e, um após outro, sem contemplações, sem meias-medidas, enfiou-lhes a língua pela garganta abaixo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário