sexta-feira, 20 de abril de 2012

Terry Bisson O Argumento da Descrença

  Terry Bisson

"Eles são feitos de carne."
"Carne?" [...] "Não há dúvidas quanto a isso. Escolhemos vários de diferentes partes do planeta, trouxemos para bordo de nossas naves de reconhecimento, cutucamos por toda parte. Eles são inteiramente carne."
"Isso é impossível. E quanto aos sinais de rádio? As mensagens para as estrelas?"
"Eles usam as ondas de rádio para conversar, mas os sinais não provêm deles.
Os sinais vêm de máquinas."
"Então quem fez as máquinas? E com esses que queremos entrar em contato."
"Eles fizeram as máquinas. E isso que estou tentando dizer ao senhor. A carne fez as máquinas."
"Isso é ridículo. Como é que carne pode fazer uma máquina? Você está me pedindo para acreditar em carne senciente."
"Não estou pedindo, estou afirmando. Essas criaturas são a única raça senciente no setor, e são feitas de carne."
"Talvez sejam iguais aos Orfolei. Você sabe, uma inteligência de base carbônica que passa por um estágio de carne."
"Não. Eles nascem carne e morrem carne. Nós os estudamos em várias de suas durações de vida, que não são muito longas. O senhor tem alguma ideia da  a duração de vida da carne?"
"Não me interessa. Tudo bem, talvez eles sejam apenas parcialmente de carne. Você sabe, como os Weddilei. Uma cabeça de carne com um cérebro de
plasma de elétrons em seu interior."
"Não, pensamos nisso, já que eles de fato têm cabeças de carne como os
Weddilei. Mas eu lhe disse, nós os cutucamos. Eles são de carne por inteiro."
"Sem cérebro?"
"Ah, existe um cérebro, sim. Só que o cérebro é feito de carne!"
"Então... o que é que pensa?"
107
"O senhor não está compreendendo, não é mesmo? É o cérebro que pensa.
A carne."
"Carne pensante! Você está me pedindo para acreditar em carne pensante!"
"Sim, carne pensante! Carne consciente! Carne que ama. Carne que sonha. A carne é tudo! O senhor está percebendo?"

Nenhum comentário:

Postar um comentário